Loja da Vivo de Juquitiba, não é uma loja da Vivo!

Uma das coisas que eu mais gosto e me orgulho em Juquitiba é o atendimento carinhoso que os comerciantes dão aos seus clientes.

Onde você for, você sempre será atendido com um sorriso e cordialidade, os comerciantes prezam pela amizade e pela boa prestação de serviços, muitos se não tem a mercadoria, prometem encomendar ao fornecedor, os restaurantes capricham no prato que servem, isto é, os comerciantes sabem da dificuldade que passamos e tentam ajudar o máximo possível.

Mas hoje me aconteceu algo que me deixou realmente assustado, pelo atendimento errôneo que sofri.

Comprei um chip para o meu tablet da VIVO na lojinha da Japonesa, onde o Gerson (o da Kombi) mantém um ponto para a venda de chips e capas para celulares, isso há quase um mês atrás.

Hoje, dia 8 de fevereiro, instalei o chip no tablet e tentei me cadastrar com a VIVO, porém, como no sítio é ruim de sinal, tentei várias vezes até que quando eu tentava fazer ligação, uma voz da VIVO me pedia para procurar uma Loja da Vivo para terminar o cadastramento.

Juntei o tablet debaixo do braço e toca ir para o centro de Juquitiba e ir até a Loja da VIVO na Av. J.K de Oliveira.

Chegando lá, contei o que estava ocorrendo e mostrei a atendente a voz que pedia para procurar uma loja da VIVO todas as vezes que eu tentava fazer uma ligação.

A atendente por sua vez, explicou que não podia fazer nada por mim, porque eu não tinha comprado o chip na loja dela. Se eu tivesse comprado lá, ela poderia fazer o cadastramento, e que eu deveria procurar uma loja da VIVO no Shopping Taboão para resolver o meu problema.

Eu perguntei a ela: ”Moça, aqui não é uma loja da VIVO? Essa placa aí fora que tem o logotipo enorme da VIVO não significa nada? Todos os celulares aqui dentro não são da VIVO?

Ela explicou que o estabelecimento onde eu estava não é uma loja Oficial da VIVO, e sim uma revenda da VIVO, e que realmente não poderia me ajudar no cadastramento e se eu quisesse resolver o meu problema seria em uma loja Oficial da VIVO.

Fui embora chateado por imaginar ter que tomar duas conduções, um ônibus até Itapecerica e outro até o shopping Taboão, mais ou menos 2 horas para ir e duas para voltar, uma tarde ou uma manhã perdida, viajar 110 quilômetros à toa, até passou pela minha cabeça em comprar um chip novo naquela loja que não é VIVO, só para encerrar o assunto, e com certeza ficaria mais barato, calculei.

Mas pensei com os meus botões, tudo isso é para induzir o cliente a comprar o chip deles, segundo ela o chip que é vendido lá é cadastrado, já vem com número e etc. E os outros que são vendidos nas pequenas lojas? São chips da VIVO piratas? Ora porque não honrar a marca e dar um atendimento a um chip original comprado em outro lugar?

Já vindo embora pela Av. JK de Oliveira, ví uma pequena loja de celulares ao lado da Papelaria Distak (que se encontra fechada) a Atec Celulares, resolvi entrar e expliquei para o atendente o meu problema e ele falou que era só tirar o chip e recolocá-lo, e reiniciar o tablet. Imediatamente o cadastramento se iniciou, ele colocou o meu CPF e a meu pedido me cadastrou na promoção VIVO TURBO. Para testarmos se tudo estava funcionando e para que eu soubesse o novo número do chip, ligamos para o meu próprio celular. Pronto eu tinha me livrado de uma bucha enorme, perguntei ao atendente (o nome dele é Fabiano, e ele é um dos proprietários da ATEC Celulares) quanto eu devia. E ele me respondeu que eu não devia nada.

Eu não sei o que vocês fariam, numa situação dessas, mas eu não tive dúvidas. Voltei à loja da “pretensa” VIVO. Aguardei, enquanto, a atendente atendia um casal. Depois sentei-me a frente dela e repeti tudo o que ela havia me dito. Abri o tablet e na frente dela fiz uma ligação para o meu próprio celular. Contei a ela que a recuperação do Chip foi feita pelo, quase, vizinho dela em alguns minutos e que não tinham me cobrado absolutamente nada.

Aí, tive que perguntar, porque ela não tinha feito o mesmo procedimento? Porque ela não honrou a marca VIVO estampada na sua fachada?

Ao que ela me respondeu, “Eu só estou seguindo ordens!”

É lamentável que isso aconteça em um estabelecimento de Juquitiba, são empresários inescrupulosos sem respeito ao consumidor. Esta é a terceira vez que este estabelecimento age comigo e com minha família de má fé.
Na primeira só venderiam um chip em branco para a minha esposa se ela comprasse um plano pós pago, minha esposa aceitou. Se ela não fizesse isso, perderia o número antigo muito divulgado pelo seu trabalho. (Isto é crime previsto em lei, chama-se Venda Casada). Acuada ela acabou fazendo.

Só estou contando isso para que vocês saibam que o chip da VIVO comprado fora da “pretensa” VIVO é original e que existe um monte de gente para te ajudar em algum problema parecido dentro da cidade sem ter que sair do município gastando dinheiro à toa.( Imagine quantas pessoas humildes que moram no matão não foram enroladas por essa conversa fiada?)

Loja da Vivo de Juquitiba, não é uma loja da Vivo!

O correto era colocar uma placa na frente da loja escrito Loja do Zé – Revendemos produtos da VIVO.
Porque do jeito que está é propaganda enganosa!

Se algo parecido estiver acontecendo com você procure seus direitos, não se deixe enganar!

Gostaria de agradecer ao Fabiano da Atec Celulares pela gentileza, se não fossê ele eu estaria, talvez, dentro de um ônibus indo para o Taboão.

Enviarei uma cópia desta matéria para a VIVO e outra para o site RECLAME AQUI.

Por Nivaldo Ramos Editor do Jornal O Pardal
Fotos Divulgação

jornalopardal

Jornal O Pardal, distribuído gratuitamente nas cidades de Juquitiba e São Lourenço da Serra, formato Germânico impresso à 4 cores. Com uma diagramação moderna e comunicativa as matérias são sempre de agrado do público. Leia você, também, o Jornal O Pardal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *